Terra ao vivo vista do espaço. Acompanhe o link ao vivo da Estação Espacial Internacional (ISS).

A Terra vista do espaço ao vivo, 24hs por dia; companhe o link ao vivo da Estação Espacial Internacional (ISS).
Broadcast live streaming video on Ustream

Condições atmosfericas em tempo real

Inscrições abertas

terça-feira, 20 de março de 2012

Após 31 mil anos, cientistas fazem semente brotar novamente

Cientistas russos visitaram a Sibéria, e lá encontraram o fruto de uma planta antiga que, segundo as estimativas, estava congelada abaixo da terra há mais de 30 mil anos.
Os pesquisadores recolheram sementes desse fruto, plantaram-nas novamente, num ato que incrivelmente funcionou: as sementes brotaram e deram origem a uma nova planta.
Fazer nascer uma planta dessa maneira seria um “equivalente vegetal” a originar um dinossauro a partir do tecido de um antigo ovo. No caso, esta antiga semente, que mais precisamente teria congelado há 31.800 anos, resultou agora em uma planta de flores delicadas com pétalas brancas, batendo o recorde de planta florida mais velha já revivida pelo homem depois de um congelamento.
A história deste vegetal é complexa. Na época em que a área ainda era dominada por mamutes e peludos rinocerontes primitivos, esquilos do ártico enterravam sementes e frutos em uma câmara subterrânea, com 38 metros de profundidade, próxima a um rio no nordeste da Sibéria.
Mais tarde, o solo daquela região ficou permanentemente congelado. Em um passado recente, cientistas russos escavaram a câmara e localizaram as plantas. Em laboratório, eles nutriram os tecidos de três dos antigos frutos, até que surgiram novos brotos. Os brotos, por sua vez, foram plantados em um vaso comum e se desenvolveram.
Uma análise do novo vegetal revelou que ele se assemelha à espécie Silene stenophylla, planta “contemporânea” recorrente na Rússia e no norte do Japão, mas com diferenças no formato das folhas e das flores.
Tal procedimento é importante, como explicam os botânicos, não tanto porque cria a chance de resgatar mais plantas do passado, mas porque pode ajudar a preservar plantas de hoje para o futuro. Congelar seus frutos e sementes seria uma forma de evitar sua extinção daqui a milhares de anos. Ninguém sabe o tempo máximo que as sementes durariam nestas condições, mas a descoberta mostrou que isso vai além de trinta mil anos, no mínimo. [ScienceNewsforKids]
http://hypescience.com/apos-31-mil-anos-cientistas-fazem-semente-brotar-novamente/?utm_source=feedburner&utm_medium=email&utm_campaign=Feed%3A+feedburner%2Fxgpv+%28HypeScience%29 
Postar um comentário

*

*
Transformando Nosso Mundo: A Agenda 2030 para o Desenvolvimento Sustentável

*

*

Postagens populares da semana - Veja no rodapé do blog o índice completo de postagens

.

Marcadores - Índice de postagens por ordem alfabética